A Novena de Dona Canô e Quem foi Dona Canô

Devota de Nossa Senhora da Purificação, a novena da qual sempre participava ficou conhecida como Novena de Dona Canô após a canção “Reconvexo”, composta por Caetano.

Assista abaixo Maria Bethânia cantando Reconvexo ao vivo:

Abaixo, está a letra da canção:

Eu sou a chuva que lança a areia do Saara
Sobre os automóveis de Roma
Eu sou a sereia que dança
A destemida Iara
Água e folha da Amazônia
Eu sou a sombra da voz da matriarca da Roma Negra
Você não me pega
Você nem chega a me ver
Meu som te cega, careta, quem é você?
Que não sentiu o suingue de Henri Salvador
Que não seguiu o Olodum balançando o Pelô
E que não riu com a risada de Andy Warhol
Que não, que não e nem disse que não

Eu sou um preto norte-americano forte
Com um brinco de ouro na orelha
Eu sou a flor da primeira música
A mais velha
A mais nova espada e seu corte
Sou o cheiro dos livros desesperados
Sou Gitá Gogóia
Seu olho me olha mas não me pode alcançar
Não tenho escolha, careta, vou descartar
Quem não rezou a novena de Dona Canô
Quem não seguiu o mendigo Joãozinho Beija-Flor
Quem não amou a elegância sutil de Bobô
Quem não é Recôncavo e nem pode ser reconvexo

Quem Foi Dona Canô?

Dona Canô foi uma cidadã centenária brasileira, conhecida por ser mãe de dois importantes nomes da música popular brasileira: Caetano Veloso e Maria Bethânia.

Além dos dois célebres músicos, Dona Canô foi mãe de mais seis filhos, dos quais duas eram filhas de criação.

Quando perguntada sobre a própria fama, Dona Canô dizia não entender a razão:

“Apenas fiquei conhecida por causa de meus dois filhos que nunca se esqueceram de onde vieram nem da mãe que têm.”

O Sal é um Dom – Receitas de Dona Canô

O Sal é um Dom – Receitas de Dona Canô é um livro que pode ser comprado em formato digital (e-book kindle) ou com capa comum.

A autora é a Mabel Veloso. Através desse livro, você vai conhecer a comida que a Dona Canô servia na mesa de sua casa e que abençoava toda a sua família.

Todo dia tinha comida boa na casa de Dona Canô, que abrigava uma família estruturada nos padrões brasileiros do Recôncavo baiano.

Nessas receitas de Mãe Canô, encontramos uma das vertentes da tradição culinária da Bahia (…), as estranhas misturas de azeites e pimentas, cristalizadas num fazer secular, a comida do cotidiano do Recôncavo baiano, marcada pela tradição do índio, do português e do africano.

Aí estão as sopas e os ensopados; as frigideiras e os bifes; as moquecas, o sarapatel e a maniçoba.

E, ainda, a numerosa doçaria recriada nos bolos e nas cocadas. CLIQUE AQUI E ADQUIRA O SEU O SAL É O DOM!

Compartilhe Esta Página:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *