Bíblia Sagrada – A Verdade Sobre a Bíblia

Livros de Orações que Você vai Gostar:

A bíblia sagrada tem várias versões, mas todas elas trazem mensagens e versículos perfeitos para cada ocasião.

A bíblia sagrada é divida em antigo testamento, também conhecido como o velho testamento (com os livros de Gênesis, Êxodo, Levítico, etc.) e novo testamento (com os livros de Mateus, Marcos, Lucas, etc.).

Na bíblia, há vários temas de estudo, como dízimo e oferta, encorajamento, amor, aniversário, família, etc.

Estes temas são versículos que falam de um mesmo assunto e servem para reflexão e aprendizado do significado de cada versículo.

Ao todo, são 66 livros, juntando o antigo e novo testamento. Ler a bíblia, claro, é a melhor forma de você conhecer mais sobre os livros e versículos.

A versão mais recente é a NVI, Nova Versão Internacional, publicada no ano de 2011.

Muitos acreditam que ler a Bíblia é muito importante para o nosso crescimento espiritual e a leitura diária dos versículos é uma fonte incrível de fortalecimento no dia-a-dia.

Atualmente, para ler a bíblia, você não precisa mais só contar com o livro impresso.

Existem vários sites que tem a bíblia completa online para ler e escutar, e tem até aplicativos para smartphone da bíblia sagrada, que permite, de um modo simples e prático, o acesso em qualquer lugar e a qualquer momento.

Esses sites costumam ter a bíblia online em vários idiomas.

Qual Bíblia Comprar?

Atualmente, há uma infinidade de bíblias que podemos comprar, com diferentes capas, preços e de diferentes editoras.

Algumas são tão baratas quanto R$ 8,00 e outras são tão caras quanto R$ 166,00.

Há, inclusive, bíblias infantis, adaptadas com letras grandes, bíblias exclusivas para mulheres, para adolescentes etc.

Podemos afirmar que existem as mais diferentes bíblias e para todos os gostos, sendo difícil até escolher qual comprar.

Então, se você está em dúvida, considere essas opções:

Bíblia Sagrada – Letra Gigante

Bíblia Sagrada: Versão Moderna

Bíblia Sagrada – Capa Preta

Bíblia Sagrada: Edição Pastoral

Bíblia Sagrada Almeida Século 21 – Letra Grande – Marrom

A Inspiração é o que caracteriza e essencialmente distingue a Bíblia de todos os outros livros humanos

Acreditar na Inspiração da Sagrada Escritura foi sempre um dogma de fé para os Judeus e para a Igreja.

Os Judeus dividiam a Bíblia em três partes: a Lei (Torá), que era considerada a Palavra de Deus por excelência; os Profetas (Nebiîm), que falaram em nome de Deus; e os Escritos (Ketubîm), formando todos juntos os «Livros santos» (1 Mac 12,9).

Jesus Cristo e os Apóstolos citaram-nos como Palavra de Deus (Act 1,16; 4,25).

Mas São Paulo e São Pedro é que nos transmitem os dois textos clássicos sobre esta verdade.

Paulo diz: «Toda a Escritura é divinamente inspirada» (theopneustos: 2 Tm 3,14-17); e Pedro afirma: «Mas sabei, antes de mais, que nenhuma profecia foi proferida pela vontade dos homens. Inspirados pelo Espírito Santo, é que os homens santos falaram em nome de Deus.» (2 Pe 1,21)

A Bíblia não é, pois, fruto de um ditado mecânico, mas uma obra em que Deus e o homem intervêm: Deus com as suas perfeições infinitas, e o homem com as suas faculdades e conforme a sua capacidade.

Por isso, os dois são verdadeiros autores dos livros sagrados.

A verdade da Bíblia é a consequência imediata da Inspiração

Com efeito, se Deus é o autor da Bíblia, se toda ela é obra do Espírito Santo, não pode conter qualquer afirmação que vá contra a verdade e a santidade do mesmo Deus.

No entanto, não podemos buscar na Bíblia qualquer verdade, mas só a que interessa à salvação do homem, ou seja, a verdade religiosa, e só aquela que Deus, causa da nossa salvação, quis que fosse registada nas Escrituras.

Trata-se de uma verdade não puramente especulativa, mas concreta, que não se dirige apenas à inteligência, mas ao homem todo; uma verdade que é preciso descobrir através dos muitos e variados gêneros literários; uma verdade progressiva, revelada por etapas, obedecendo à pedagogia de Deus em relação aos homens; uma verdade que está em toda a Bíblia e não apenas num livro ou num texto isolado.

Por isso, a verdade dos textos sagrados só resulta da totalidade da Bíblia, como a santidade da Igreja resulta do conjunto dos baptizados e não de cada um individualmente.

Os sentidos bíblicos

Tradicionalmente, têm-se distinguido na Bíblia os sentidos seguintes: literal, pleno, típico e acomodatício.

O Sentido literal é aquele que o autor quis dar ao texto. Pode ser próprio e impróprio, figurado ou metafórico.

O próprio é aquele em que as palavras são tomadas no seu significado corrente; o impróprio é aquele em que as palavras são tomadas no sentido conotativo ou figurado, por exemplo: «Vós sois o sal da terra.» (Mt 5,13)

O Sentido pleno é o significado mais profundo do texto; sendo inicialmente pretendido pelo autor divino, só se descobre à luz de uma revelação posterior, especialmente à luz do Novo Testamento.

Este sentido resulta do facto de a Bíblia ter dois autores: Deus, para quem o futuro é presente, e que, ao inspirar um determinado texto, já conhece toda a revelação posterior nele implícita; e o hagiógrafo ou autor humano, que apenas conhece e tem presente o mistério que Deus quer revelar nesse determinado momento histórico da escrita.

Exemplo claro disto são as profecias messiânicas do Antigo Testamento: para nós são claras, porque o Messias já veio; mas o significado que hoje lhes atribuímos não foi atingido plenamente pelo autor sagrado, e só Deus o teve presente desde o princípio.

O Sentido típico dá-se quando certos acontecimentos, instituições, pessoas, etc., por vontade de Deus, representam e prefiguram acontecimentos, instituições e pessoas de ordem superior.

Assim, a serpente de bronze erguida por Moisés (Nm 21,8-9) é figura de Cristo crucificado (ver Jo 3,14); a passagem do Mar Vermelho (Ex 14,22) é figura do Baptismo (1 Cor 10,2); o maná (Ex 16,14) é figura da Eucaristia (Jo 6).

O Sentido acomodatício consiste em dar às palavras da Sagrada Escritura um sentido diferente daquele que o autor lhes quis dar, devido a uma certa semelhança entre a passagem bíblica e a sua aplicação.

Este sentido é muito usado na liturgia e na pregação. Temos um exemplo claro nas festas de Nossa Senhora, em que a Liturgia relaciona com a Virgem Maria textos que se referem à sabedoria divina (Pr 8,22-36; Sir 24,14-16).

10 Frases Marcantes da Bíblia Sagrada

A Bíblia Sagrada é o livro fundamental da religião judaica e cristã. O Antigo Testamento é a primeira parte da Bíblia, que conta a história do povo hebreu.

O Novo Testamento narra a continuação da história dos hebreus a partir do nascimento de Jesus.

Abaixo, deixamos 10 frases marcantes da bíblia sagrada para você refletir e repassar.

Frase 1) As más companhias corrompem os bons costumes.

Frase 2) O tolo revela todo o seu pensamento, mas o sábio o guarda até o fim.

Frase 3) Quem planeja e trabalha com dedicação ficará rico; quem quer ficar rico da noite para o dia acaba perdendo o pouco que tem.

Frase 4) Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem.

Frase 5) Quem caminha com os sábios se torna sábio; quem se junta com os insensatos torna-se mau.

Frase 6) Aquele, pois, que pensa estar em pé, cuide para não cair.

Frase 7) Pedro e os outros apóstolos responderam: ‘É preciso obedecer antes a Deus do que aos homens!’

Frase 8) Portanto, não percam a coragem, pois ela traz uma grande recompensa.

Frase 9) Se alguém diz: “Eu amo a Deus”, mas odeia o seu irmão, é mentiroso. Pois ninguém pode amar a Deus, a quem não vê, se não amar o seu irmão, a quem vê. O mandamento que Cristo nos deu é este: quem ama a Deus, que ame também o seu irmão.

Frase 10) O amor é o sentimento mais forte que a morte.

Compartilhe Esta Página:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *